Justiça de São Paulo manda prender integrantes da ‘cúpula’ do PCC; ao todo 19 foram presos

A justiça de São Paulo decretou prisão preventiva de 19 pessoas acusadas de integrar a nova cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC).

O Ministério Público encaminhou a denúncia ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), depois da Operação Sharks, feita em setembro, quando foram presos 18 homens e uma mulher.

Com análise de celulares, a polícia descobriu o envolvimento dos suspeitos no comando da facção e a movimentação de mais de R$ 100 milhões por ano no esquema do tráfico.

As mensagens também relatavam nomes dos novos chefes do PCC, depois que os integrantes mais conhecidos foram transferidos para presídios federais.

Para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público de São Paulo, a operação é considerada a mais importante desde que o chefe Marcola e outros chefes foram transferidos.

O esquema envolve ligações com outros estados, além da Bolívia, do Paraguai e em países da África. Um deles ficará em prisão domiciliar segundo gaeco e as investigações continuam para descobrir outros nomes ligados a facção de São Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*