Rosa Quadros, viúva de Mangabinha, do Trio Parada Dura, morre em Curvelo, vítima da covid-19

A compositora Rosa Quadros, de 76 anos, viúva do cantor e sanfoneiro Mangabinha, fundador do grupo de música sertanejo Trio Parada Dura, morreu nessa quinta-feira (14), após complicações geradas pela covid-19.

Rosa estava internada no Hospital Imaculada Conceição, em Curvelo, na região Central de Minas, desde o dia 6 de janeiro, de acordo com familiares. No dia 8 ela foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, mas o quadro de saúde piorou e ela não resistiu.

O corpo da compositora foi sepultado no Cemitério Bosque da Esperança, no Bairro Jaqueline, região Norte de Belo Horizonte, na tarde dessa sexta-feira (15).

Rosa compôs, com Mangabinha, que morreu em abril de 2015, várias músicas que foram gravadas pelo Trio Parada Dura, entre elas a conhecida “As Andorinhas”. Ela deixa duas filhas, três netos e dois bisnetos.

Em 13 de setembro do ano passado, o cantor Parrerito, de 67 anos, que fazia parte da última formação do Trio Parada Dura, também morreu devido à complicações da doença.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*