Mais mil soldados americanos serão enviados ao Afeganistão; Talibã tomou o poder do país

Os Estados Unidos anunciaram o envio de mais mil militares ao Afeganistão após tomada do poder pelo Talibã. As forças americanas vão trabalhar para tentar reestabelecer a segurança do aeroporto em Cabul, que vive uma situação de absoluto caos com a população invadindo aeroporto e se agarrando aos aviões que se preparavam para decolar. Ao todo, serão sete mil soldados americanos no país asiático.

O Afeganistão se transforma rapidamente um dia após a volta do Talibã ao poder. Os extremistas anunciaram uma anistia geral para todos os funcionários do estado, aos quais pediram que voltassem a trabalhar normalmente. As roupas de estilo ocidental desapareceram das ruas de Cabul e os homens usam roupas tradicionais, enquanto as mulheres são raramente vistas, de acordo com a AFP.

A retomada do território afegão avançou com rapidez surpreendente na última semana. A população está aterrorizada com o retorno dos extremistas. Um interprete afegão que trabalhou com o exército francês, lançou um apelo.

“Estamos aguardando ajuda do governo francês, estamos presos no Afeganistão com nossas famílias. A embaixada está fechada e as forças americanas não nos deixam passar. Sem um documento do governo francês não podemos entrar no aeroporto. Temos medo. Há cerca de 600 pessoas diante dos portões do aeroporto de Cabul”, falou.

O professor de Relações Internacionais da PUC, Jorge Lasmar, explica porque o Talibã é uma grande ameaça mundial.

“O governo Talibã passa a ser uma preocupação para o mundo, isso porque o Afeganistão pode ser tornar um grande problema para a questão dos direitos humanos, com a retomada de execuções públicas, penas cruéis, graves violações contra as mulheres, além de perseguições de minorias”, afirma o professor.

Lasmar chama a atenção, ainda, para a questão da chegada em massa de refugiados para os países vizinhos ao Afeganistão e também para a Europa.

“As imagens levantam alguns pontos importantes, o primeiro é sobre o impacto da crise do ponto de vista da questão dos refugiados. O Afeganistão já gera um número muito grande de refugiados. Existe uma quantidade grande de refugiados afegãos nos países vizinhos, principalmente Paquistão e também uma diáspora para países da Europa, mas esse processo talvez tenda a se acirrar. E claro, há também um lado político dessas imagens, elas estão sendo comparadas com a saída dos EUA do Vietnã”, completou.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*