Chefe de Gabinete da Saúde de Minas é demitido após áudio vazado sobre a CPI dos fura-fila

Após um áudio vazado mostrar a existência de um movimento dentro do Governo de Minas para atrapalhar as investigações feitas pelo Ministério Público e Assembleia de Minas, no âmbito da CPI dos fura-fila da vacina contra a covid-19, dois servidores acabaram demitidos dos cargos.

A Secretaria de Estado de Saúde informou nesta quinta-feira, por meio de nota, que o chefe de Gabinete, João Pinho, e o assessor-chefe de comunicação da pasta, Everton Souza, vão ter as exonerações publicadas na edição desta sexta-feira (23) do Diário Oficial.

Os dois aparecem no áudio de uma reunião de servidores. Na conversa entre os funcionários do governo, é sugerido que os servidores mudem a resolução que trata do regime de trabalho à distância para evitar questionamentos por parte das investigações.

Além disso, em outros momentos da gravação, que tem pouco mais de 25 minutos, os servidores ainda falam sobre versões a serem dadas na CPI e outras irregularidades para burlar a investigação aberta pela Assembleia para apurar a vacinação irregular de funcionários da Secretaria de Estado de Saúde.

Em nota, o Governo de Minas disse que tomou conhecimento do áudio da possível reunião realizada entre servidores da Secretaria de Estado de Saúde e afirmou que veracidade e o conteúdo do áudio serão apurados.

“O Governo de Minas reitera seu compromisso com a transparência e reafirma que todas as denúncias relativas ao processo de vacinação de servidores são apuradas por órgãos de controle, com colaboração do governo estadual”, completa a nota.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*