Cantora ‘antivacina’ morre em decorrência da covid-19, dias depois de comemorar infecção proposital

A cantora Hana Horka, da República Tcheca, morreu em decorrências de complicações de saúde causadas pela covid-19, no último domingo (16). A artista, que tinha 57 anos, era adepta do movimento antivacina. Ela chegou a comemorar, nas redes sociais, a infecção pelo vírus.

Hana Horka, vocalista do grupo tcheco Asonance, se expôs propositalmente à Covid-19. “Ela preferiu viver normalmente conosco e pegar a doença para não ter que se vacinar. É triste que ela quis mais acreditar em estranhos do que em sua própria família”, afirmou o filho Jan Rek, em entrevista a uma rádio do país.

No Facebook, Hana Horka comemorou ter sido contaminada: “Estou muito feliz porque, desta forma, poderei ter uma ‘vida livre’ como os outros, ir ao cinema, tirar férias, ir à sauna, ao teatro”.

Jan Rek publicou um desabafo nas suas redes sociais culpando o movimento antivacina da República Tcheca como responsável pela morte de sua mãe. Ele também revelou que, com conjunto com o pai, tentou por inúmeras vezes convencer a cantora da importância de ser vacinada contra a doença.
“Minha mãe não foi apenas alvo de uma desinformação total, mas também acreditava em opiniões sobre a imunidade natural e anticorpos que criaria quando pegasse a doença”, desabafou Jan Rek.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*