Polícia Civil conclui inquérito sobre assassinato de jovem enterrada viva em Medina

A Policia Civil concluiu a investigação que apurava a morte de Joana Darc Souza Sena ocorrida em Medina. Dois homens foram indiciados por feminicídio, ocultação de cadáver e corrupção de adolescente. Um menor também foi responsabilizado pelos atos infracionais análogos aos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Segundo a investigação, a vítima desapareceu em 12 de março. O corpo dela foi encontrado três dias depois enterrado nos fundos de uma casa onde o adolescente morava.

“O exame do IML apontou que a vítima foi muito agredida no rosto, sendo a causa da morte, no entanto, a asfixia por soterramento, o que indica que estaria viva quando foi enterrada”, divulgou a PCMG.

 

Segundo a Polícia Civil, ficou comprovado que a mulher tinha um relacionamento com um dos investigados, com quem foi até o local do crime. Ele e o menor ainda não foram localizados. O outro homem indiciado foi preso em flagrante.

O inquérito policial e o procedimento de apuração de ato infracional foram encaminhados à Justiça.

Sobre a prisão

 

Uma operação das Polícias Civil e Militar terminou com a prisão de um homem após uma mulher ser encontrada morta em Medina. O corpo foi localizado em um imóvel abandonado, no Centro. Familiares disseram que a vítima, de 25 anos, estava desaparecida.

“Durante as diligências, as equipes constataram que três autores teriam saído de um estabelecimento, próximo à via paralela, até essa casa abandonada. Eles teriam tentado contra a vida da vítima e enterrado o corpo em uma cova rasa”, fala o aspirante Danilo da Silva Guedes, da PM.

Segundo o policial, um dos autores, de 21 anos, foi encontrado. Os outros dois, de 17 e 20, ainda não foram localizados.

“Foi efetuado rastreamento, tendo as equipes conseguido localizar um dos autores, tendo ele confirmado os fatos e dito que teria saído desse estabelecimento juntamente com dois outros colegas. […] Segundo ele, seus dois colegas teriam mantido relação sexual com o consentimento da vítima e, após o fato, um dos autores teria ordenado a morte dessa pessoa”, completa o aspirante.

Ainda conforme as informações fornecidas pelo homem preso, a vítima teria sido morta com golpes de faca.

“A perícia técnica foi acionada, contudo encaminhou o corpo para a necropsia, uma vez que não foi possível identificar os ferimentos em razão do avançado estado de decomposição do corpo.”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*